O mercado de pele masculino

E o post debut da nossa nova colaboradora Nathalia Duarte será sobre o mercado de pele masculino: uma tendência que voltou com tudo no mundo moderno. E voltou para ficar.
Boa leitura!
Gustavo Boaventura

No Brasil, a cada ano as vendas de produtos de embelezamento masculino crescem em média 10% ao ano. Hoje, 1 em cada 10 brasileiros usa algum tipo de cosmético para retardar o envelhecimento. Há cerca de quinze anos falávamos em menos de 1 em cada 100.

Dentre as indústrias nacionais de cosméticos, a Natura e O Boticário despontaram no mercado com linhas de tratamento facial específicas para homens. Mas muitas outras empresas enxergaram o potencial deste público há bastante tempo e, a cada ano, a quantidade de produtos vendidos tem aumentado significativamente, como demonstrado pelo gráfico a seguir.

Trata-se de uma mudança cultural, um novo olhar sobre a forma de cuidar do corpo e da aparência do homem, uma alteração de hábitos que incluem limpeza e hidratação tanto da pele quanto dos cabelos. E as novas gerações vêem isso de forma cada vez mais natural, abandonam velhos hábitos e adquirem novos conceitos, que impactam diretamente sobre a receptividade e as compras. Os adolescentes, por exemplo, já não se sentem constrangidos em admitir que usam desde produtos pós-barba até hidratantes para o corpo ou cabelo. As prateleiras apresentam, a cada dia, um número maior de frascos e potes com fragrâncias masculinas.

Os homens precisam de cuidados especiais e produtos desenvolvidos especialmente para seu tipo de pele e cabelos, pois possuem características diferentes das mulheres. A pele do homem é normalmente mais oleosa, tem um pH menor, tem ainda um maior fluxo de oxigênio do que a feminina e conta com uma quantidade maior de pelos. Por este motivo, algumas matérias-primas são diferentes das utilizadas em produtos femininos. Assim, as formulações desenvolvidas são mais leves, de fácil espalhamento e rápida absorção, sendo géis, géis-creme ou fluídos, de baixa pegajosidade, as preferidas. Muitos têm ação refrescante como o mentol, seus derivados e cânfora, alguns adstringentes como melissa e outros com ação calmante como hamamélis, camomila e sálvia. Também são escolhidos os ativos tensores, que esticam a pele, como os polifenóis presentes em extratos vegetais, ácido tânico e polivinilpirrolidona. Além disso, as fragrâncias devem ser facilmente reconhecidas como masculinas.

E para levar tantos cosméticos, o que também comprova o crescimento das vendas de cosméticos para homens, nota-se um aumento nas vendas de linhas inteiras de nécessaires masculinas. Não há como negar. É um filão do mercado a ser considerado e merece grandes investimentos na pesquisa e desenvolvimento de novos produtos para agradar consumidores tão diferentes e exigentes como os que constituem o mercado consumidor brasileiro.

Leia mais:
http://homemchic.blogspot.com/2009/06/homens-e-cosmeticos.html
http://www.cosmeticosbr.com.br/conteudo/noticias/noticia.asp?id=2127

Referências:
Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosmética
Homens decolam em Cosméticos . Revista Household & Cosméticos – Ano V – nº 27 – Set/Out – 2004
O mundo da beleza também é deles, Revista Household & Cosmétics – Vol. VIII – Fev – 2010