Descoberto formol em alisante brasileiro no Canadá

Segundo matéria publicada ontem na Folha.com, Após incidente com corretora canadense, a Health Canada anunciou que o produto chamado Brazilian Blowout apresentava 12% de formaldeído (formol), quando a concentração máxima permitida no país é de 0,2%, assim como no Brasil.

A consumidora percebeu que seu cabelo começou a cair logo nas primeiras semanas após o uso do produto e procurou a responsável pela marca, cuja reação foi atribuir o acontecido a estresse ou mudanças na dieta. O produto encontra-se suspenso nos EUA e Canadá, mas o mais preocupante é que um dos principais apelos de marketing era justamente ser livre de formol: “sem estragos! Não contém formaldeído”. E por isso era considerado pela própria empresa “o único tratamento alisante que melhora a saúde dos cabelos”.

A empresa americana declarou à Folha que o nome “brazilian” é atribuído ao produto, pois o carro-chefe da marca é importado do Brasil. Já a fabricante brasileira, Cadiveu, afirma já ter encerrado a parceria em 2008.

Outro destaque nos apelos de marketing do produto era “a ausência do formaldeído, que pode causar ardência nos olhos e nas narinas, dor de garganta e até câncer”.

Opinião do autor: que este caso sirva de exemplo às milhares de pessoa no Brasil que insistem em usar alisantes com formol, mesmo sabendo que é proibido e que causa sérios danos à saúde. Para quem lê bem em inglês, vale a pena a leitura do site da própria marca sobre as perguntas mais frequentes a respeito do tratamento. Também é possível ver uma corrente de depoimentos e sites de redes sociais falando dos resultados do alisamento. Uma pena!

Estamos acompanhando o caso e assim que tivermos mais notícias publicaremos no Cosmética em Foco. Alguém precisa responder e esclarecer essa questão e não deve ser a usuária que foi enganada.

Atualização em 09/03/2011: Em novembro do ano passado, a Cadiveu deu entrevista ao site cosmeticosbr “esclarecendo” o assunto que permaneceu muito nebuloso. Para quem se interessar, segue o link: http://www.cosmeticosbr.com/conteudo/entrevistas/entrevista.asp?id=2560

O mais importante dessa história toda é que uma pessoa morreu usando formol para alisar os cabelos. Isso não é motivo suficiente para as pessoas se conscientizarem? Ficam massacrando e acusando vários ingredientes de serem cancerígenos e etc mesmo sem qualquer comprovação científica, mas continuam a usar o formol que é declaradamente cancerígeno, altamente tóxico e letal! Às vezes confesso que não entendo. O vilão (formol) é amado e idolatrado e os inocentes (parabenos e silicones) são apedrejados… Eu, sinceramente, desejo todos os dias que parem que usar formol nos cabelos e tento conscientizar mulheres de todo o Brasil a desistirem disso. Espero fazer a minha parte como profissional da saúde e como profissional da área cosmética! É meu dever lutar contra o formol!

5 COMENTÁRIOS

  1. Uma atualização: em novembro do ano passado, a Cadiveu deu entrevista ao site cosmeticosbr "esclarecendo" o assunto que permaneceu muito nebuloso. Para quem se interessar, segue o link: http://www.cosmeticosbr.com/conteudo/entrevistas/entrevista.asp?id=2560

    O mais importante dessa história toda é que uma pessoa morreu usando formol para alisar os cabelos. Isso não é motivo suficiente para as pessoas se conscientizarem? Ficam massacrando e acusando vários ingredientes de serem cancerígenos e etc mesmo sem qualquer comprovação científica, mas continuam a usar o formol que é declaradamente cancerígeno, altamente tóxico e letal! Às vezes confesso que não entendo.

  2. Já coloquei essa porcaria uma vez no meu cabelo, pra nunca mais.
    Nunca tive tanta queda,e nem foi pq eu quis,minha mãe que obrigou ¬¬
    Recentemente perdi uma tia que era cabeleireira exatamente por causa do formol,essa lição já aprendi e passo para os outros, é melhor viva com cabelo "ruim" a morta com cabelo liso.

  3. Daniele, fico contente pelo seu depoimento, mas muito triste com o seu relato. Saiba que sou incisivo (e às vezes chato) para tentar convencer as pessoas de não utilizarem mais formol e de cobrarem isso de seus cabeleireiros.

  4. Olá Gustavo,
    Te conheço a poucas horas, mas já TE AMO!

    Me sentia sozinha nessa luta, já fui tripudiada e agredida verbalmente diversas vezes no meu blog (www.euamocabelo.com.br) por ser cabeleireira e ir contra a principal fonte de renda de profissionais que não sabem ou não querem manipular corretamente as químicas liberadas e aprovadas (sódio, guanidina e tioglicolatos)

    É exatamente como você fala, as pessoas escolhem odiar o silicone e fazer vistas grossas ao formol e glutaral.

    De tanto estudar para poder brigar com respaldo acabei decidindo por cursar farmácia, estou me preparando para o final do ano, se tudo der certo começo.

    Beijocas…
    Carla Figueira

Comments are closed.